Fábio Kfouri                    Engenheiro Civil - Perícias

                                           PATOLOGIAS



FUNDAÇÕES        CONCRETO       IMPERMEABILIZAÇÃO       PINTURA      REVESTIMENTOS

O concreto armado é composto de concreto (material esse de alta resistência à compressão e baixa resistência à tração) e aço (material que confere à peça a alta resistência à tração);

Exige-se do concreto armado que este seja durável, e, para tanto, deverá ser projetado e executado de modo que, sob as condições ambientais e de utilização previstas no projeto, conservem sua segurança, estabilidade e aptidão durante o período a que corresponde sua vida útil; A vida útil mínima a ser preconizada em projeto é de 50 anos, segundo a NBR 6118-2004 da ABNT;

Mecanismos de envelhecimento e deterioração

Devem ser considerados os mecanismos de envelhecimento e
deterioração da estrutura de concreto relacionados de 1 a 3:
1-)Mecanismos preponderantes de deterioração relativos ao concreto
a) lixiviação: por ação de águas puras, carbônicas agressivas ou ácidas que dissolvem e carreiam os
compostos hidratados da pasta de cimento;
b) expansão por ação de águas e solos que contenham ou estejam contaminados com sulfatos: dando
origem a reações expansivas e deletérias com a pasta de cimento hidratado;
c) expansão por ação das reações entre os álcalis do cimento e certos agregados reativos;
d) reações deletérias superficiais de certos agregados decorrentes de transformações de produtos
ferruginosos presentes na sua constituição mineralógica.

2-) Mecanismos preponderantes de deterioração relativos à armadura
a) despassivação por carbonatação, ou seja, por ação do gás carbônico da atmosfera;
b) despassivação por elevado teor de íon cloro (cloreto).

3-) Mecanismos de deterioração da estrutura propriamente dita
São todos aqueles relacionados às ações mecânicas, movimentações de origem térmica, impactos, ações
cíclicas, retração, fluência e relaxação.

 

Agressividade do ambiente

A agressividade do meio ambiente está relacionada às ações físicas e químicas que atuam sobre as
estruturas de concreto, independentemente das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem
térmica, da retração hidráulica e outras previstas no dimensionamento das estruturas de concreto.

 

  • ROTEIRO PARA DIAGNÓSTICO DE TRINCAS E FISSURAS EM PEÇAS DE CONCRETO ARMADO

    O profissional deverá atentar para o que segue:

· local da ocorrência , se no elemento estrutural ou somente no revestimento
· profundidade das fissuras
· configuração das fissuras, sua direção, quantidade, ordem...
· abertura (se estão muito acima dos limites dados em norma ou não)
· se as fissuras variam ao longo do dia ou do ano
· se a fissuração está evoluindo ou não (quanto ao aumento do comprimento ou abertura)
· se estiverem surgindo novas fissuras ou não
· se a construção está sendo utilizada para os fins previstos em projeto
· se houve recentemente reformas na construção
· se foram erigidas recentemente novas construções no entorno da construção afetada
· se as construções vizinhas sofrem do mesmo problema

  • RESUMO DAS CAUSAS DE FISSURAS/ TRINCAS EM CONCRETO ARMADO
  • Fissuras por retração (retirada de água durante a cura)
  • Fissuras por variação de temperatura
  • Fissuras causadas por tração
  • Fissuras causadas por compressão
  • Fissuras causadas por flexão
  • Fissuras causadas por força cortante
  • Fissuras causadas por torção
  • Fissuras causadas por corrosão da armadura
  • Fissuras causadas por recalque das fundações
  • Fissuras causadas por movimentação higroscópica